Guardar para si as emoções pode afetar a saúde do seu filho

As crianças precisam de menos brinquedos para brincar melhor
21/09/2018
Chega de rótulos: por que não estigmatizar o comportamento das crianças
25/09/2018
Exibir tudo

Guardar para si as emoções pode afetar a saúde do seu filho

Seu filho queixa de dor de cabeça ou de estômago, mas os exames não detectam a causa. Ele pode estar com doenças psicossomáticas, que são aquelas em que há sintomas – como dor, urticária na pele, mal-estar –, mas sem uma causa orgânica que justifique o incômodo. O pediatra Victor Horácio, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), explica:

É comum receber crianças com esse diagnóstico?

Sim, elas se queixam de dor de estômago, de barriga ou até alergias, mas os exames não acusam alteração. Às vezes, estão passando por uma situação estressante na família, há problemas de relacionamento com pais, ou pressão na escola e a dor é uma válvula de escape.

Há sintomas recorrentes?

Dores abdominais e cefaleia, principalmente na faixa etária escolar. É preciso ficar atento ao comportamento da criança. Se ela perde a vontade de brincar ou se isola dos amigos, por exemplo, é melhor procurar um pediatra.

Dá para prevenir?

A prática de atividades físicas, para ajudar a aliviar o estresse, e o apoio psicopedagógico são bons aliados.

Apesar dos exames não acusarem algo errado, ela realmente se sente mal?

Sim. A dor das crianças é real. Por isso, não menospreze os sintomas.

%d blogueiros gostam disto: